A ORIGEM DO CHIMARRÃO

O chimarrão é uma bebida que está ganhando aceitação muito grande, não só no sul de nosso país. O “mate amargo” tem se tornado um companheiro de muitos, depois de um dia corrido de trabalho ou para as horas em que sentamos e conversamos com nossa família nos fins de semana. O atrativo familiar combina muito com essa bebida, tornada famosa pelo país a fora através dos 3 estados do sul. Mas quando você toma um “chima”, talvez fique curioso para saber de onde veio essa bebida.

chimarrao2

 

PRIMEIROS CHIMARREIROS

Segundo se acredita os primeiros usos de que se sabe do chimarrão são dos índios guaranis, que moravam na região dos rios Paraná, Paraguai e Uruguai. Isso, é claro, há muito tempo atrás, quando os colonizadores espanhóis chegaram à América do Sul. Outros que tomavam o chimarrão eram os índios caingangues, que habitavam o Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo. Com o tempo até os anos 1600, extrair a erva-mate era uma atividade econômica muito rentável da chamada Província Del Guayrá – uma região que incluía quase todo o atual estado do Paraná.

Mas você sabia que o chimarrão já foi uma bebida proibida? Isso mesmo! No sul de nosso país, durante o século 16, era chamado de “erva do diabo” pelos padres jesuítas residentes dessa região. Mas no século seguinte, os jesuítas passaram até a incentivar as pessoas a tomarem chimarrão, para que a maioria não usasse mais bebidas alcoólicas. Lembrando sempre que o legítimo chimarrão nunca conterá nenhum tipo de bebida alcoólica. Mas muitos gostariam de saber qual é o conceito gauchesco da origem de sua bebida tão ansiada. Leia sobre isso.

 

CONCEITO GAÚCHO DA ORIGEM DO MATE AMARGO

Sempre presente no dia-a-dia do gaúcho, o chimarrão transformou-se na bebida típica do Rio Grande do Sul. Em outras palavras, o chamado “mate amargo” representa a tradição gaúcha para o Brasil a fora. É a bebida preferida dos gaúchos, e compõe um simbolismo da hospitalidade e da amizade do povo gaúcho. No preparo, é o próprio mate cevado, sempre sem açúcar, preparado dentro de uma cuia e sorvido (sugado) por meio de uma bomba. É uma bebida que usa a infusão da erva-mate – uma planta típica das matas sul-americanas, inclusive no estado do Rio Grande do Sul.

Quando os portugueses e espanhóis chegaram às terras do sul brasileiro, acharam o índio guarani tomando o hoje chamado chimarrão. Para a maioria do povo gaúcho o chimarrão inspira aconchego, mantém aceso o calor da tradição e da afeição mútua, que toma conta dos ranchos e dos galpões dos mais distantes rincões do sul. Quem levou o chimarrão para a cidade grande foi o homem do campo. O chimarrão é um hábito e uma tradição que se transformou numa resistência cultural que se tornou a marca do povo gaúcho. Os apetrechos que se eleva para tomar o chimarrão são basicamente: a bomba e a cuia.

 

É claro que não são só gaúchos que tomam chimarrão. Os catarinenses e paranaenses amam este hábito cultural e promovem o mate amargo em todas as direções. Mas saber como os gaúchos encaram esta bebida é no mínimo curioso. E conhecer a origem desta bebida aumenta nosso desejo de passar a tomar o chimarrão – bebida típica sul-americana que acompanha todas as gerações do sul de nosso país!